// Este blog

CARTA AO LEITOR
Histórias e pontos de vista em conexão

Uma nova casa nos faz olhar para trás e para a frente: avaliamos os passos trilhados e os caminhos que se abrem no horizonte. Este blog, a nova casa para o jornal “A Hora e a Vez”, continuará a abrigar a produção dos alunos do Colégio Stockler que merece saltar os muros da escola para ganhar o mundo. Mas, quase uma década depois da criação do curso de jornalismo no Stockler, era preciso mudar e atender às demandas de maior velocidade e conexão entre saberes e mídias, além de ampliar o espaço para o aprofundamento da reflexão e do debate entre alunos.

Desde as primeiras aulas, o curso de jornalismo sempre procurou envolver os estudantes para articular histórias de vida e pontos de vista sobre os problemas que dão sentido à sociedade atual. É uma prática que se preocupa com o contato entre os que fizeram as grandes mudanças e as pequenas revoluções, aqueles que as presenciaram e os que sofreram seus impactos. E, no centro desse fluxo, conectando os pontos numa teia, está esse observador privilegiado: o cronista.

Esse historiador de seu próprio tempo tece a teia de fatos que envolvem a todos e, no processo, deixa também sua marca pela própria forma única com que conta suas histórias e explica suas opiniões. Da mesma forma, este blog procura dar espaço às ideias e vidas dos alunos do Colégio Stockler, para que eles inscrevam em um ambiente compartilhado as suas formas de agir e refletir sobre o que acontece ao seu redor. Como diz seu próprio nome, esta é “A hora e a vez” de os alunos serem ouvidos.

Em primeiro lugar, o blog procura trazer para a sala de aula os recursos tecnológicos que permitirão que os alunos publiquem de forma prática, rápida e independente suas produções. Com o novo blog, a produção dos estudantes poderá ser publicada quinzenalmente, incentivando o hábito crítico de leitura e produção midiática constante de várias atualidades que as restrições temporais das aulas não permitiriam. Muito mais do que simplesmente treinar os jovens no uso do hipertexto multimidiático, são também discutidos seus limites de forma a criticar seus impactos na sociedade.

Em segundo lugar, este blog tenta mostrar que as paredes que separam as salas de disciplinas tão distintas quanto a matemática, a biologia e a história não são fronteiras intransponíveis. Nesse limiar, a interconexão entre os textos é a expressão digital da interdisciplinaridade dos diversos saberes envolvidos na reflexão dos alunos. Esse espaço também permite a publicação de produções de alunos e professores de diferentes disciplinas, criando mais proximidade entre turmas e mestres.

Em terceiro lugar, para além dos muros da escola, este espaço virtual nasce como um local de encontro para aproximar estudantes, pais, professores, funcionários e diversos amigos ao redor das histórias que nossos alunos querem contar e das ideias que pretendem defender.

Em quarto lugar, procura-se fortalecer o contato dos alunos com o seu mundo, desde o microcosmo das relações entre seus iguais, em sala de aula, até os conflitos no Oriente Extremo, passando pela proliferação de vírus em uma placa de Petri às descobertas de novos corpos celestes a anos luz de distância. Ao reconhecer a função social do texto, os alunos se sentem mais desafiados a escrever mais (e melhor), inserindo suas opiniões e histórias no fluxo maior debatido por outros colegas no blog.

O ponto de partida dos textos continua sendo as inquietações dos próprios estudantes sobre situações observadas em suas vidas. A partir das suas sugestões temáticas, os textos são discutidos coletivamente antes da pesquisa e da estruturação do texto. Os jovens são continuamente incentivados a enfrentar a tarefa da produção dos artigos utilizando a técnica mais importante no jornalismo: o questionamento.

São dúvidas tão intrigantes quanto férteis para a discussão: por que os jovens perderam sua capacidade de mobilização, atordoados entre o consumo e um fluxo de informações que não conseguem seguir (quanto mais influenciar)? Como é possível usufruir do progresso quando o aumento na quantidade de veículos acarreta em mais lentidão do que velocidade? Quais são os benefícios de lançar-se ao desconhecido na carreira e nos estudos em outros países? Como podemos proteger as próximas gerações dos efeitos nocivos da mídia? Como se deve viver em uma sociedade em que a individualidade é cercada por câmeras, que tudo veem? E a grande pergunta, que subjaz a todas as outras: por que temos que decidir sozinhos o que fazer com nossas vidas em momentos tão incertos quanto a adolescência?

As respostas apresentadas aqui pelos alunos mostram muito mais do que suas próprias opiniões sobre esses temas: revelam promessas dessa geração que deve enfrentar os desafios deixados sem resolução por seus antecessores.

Ivan Paganotti – Professor de Jornalismo (2º e 3º ano)
Maurício Monteiro Filho – Professor de Jornalismo (1º ano)
Rodrigo Ratier – Criador do curso de Jornalismo do Colégio Stockler e mestre pela Faculdade de Educação da USP