// você está lendo...

Educação e carreira

Mente imatura em encruzilhada

Foto que representa a dificuldade dos jovens em decidir suas carreiras

A dificuldade dos jovens em decidir suas carreiras

A precoce escolha de carreira profissional imposta para os jovens brasileiros

“Para o que você vai prestar?” e “Já sabe o que vai fazer?” são algumas das perguntas que mais assombram a maioria dos adolescentes brasileiros. A escolha da profissão no período do fim do Ensino Médio é um momento de pressão, estresse e, muitas vezes, escolhas erradas feitas pelos vestibulandos. Mas será que quem está errado é o estudante, ou é esse sistema que obriga jovens a fazerem escolhas tão importantes ainda tão cedo?

É normal que, ao crescer, nossos interesses e nossas visões mudem, fazendo com que nossas opiniões e vontades se alterem também. Quando “escolhemos” nossas profissões na infância, “quero ser astronauta” ou “quero ser bombeiro” são frases corriqueiras entre crianças, porém, pouquíssimas acabam realmente seguindo a profissão. Esse é apenas um entre vários exemplos que mostram como nós estamos abertos a mudar de ramo profissional ao longo do nosso desenvolvimento. Em especial, entre 15 aos 19 anos, estamos experimentando coisas novas, tendo novas experiências, ficamos muito propícios a mudar nossos interesses.

Além disso, uma pesquisa feita em 2013 pela Universidade Anhembi Morumbi constata que metade dos jovens escolhe carreiras sem ao menos conhecer a profissão. Isso pode ser resultado de diversos fatores: a falta de informação que foi fornecida para o adolescente, porque a escola não apresentou projetos para assistir ao aluno a escolher a carreira ou até mesmo pelo desinteresse dos pais e responsáveis em ajudá-los nesse processo. Ou até mesmo pela falta de pesquisa e aprofundamento feita pelo estudante, que pode ser resultado ou da falta de interesse, ou até mesmo, pela falta de tempo, pois muitos estavam ocupados estudando para passar no vestibular daquela carreira que é popular entre jovens e apresenta bom mercado de trabalho, mas não é necessariamente a profissão pela qual todos realmente se interessam.

Dessa forma, acredito que esse sistema adotado pelo Brasil exige muito de pessoas que ainda não têm maturidade o bastante para fazer escolhas de tal importância em suas vidas. Ademais, muitas vezes uma escolha errada de profissão pode custar muito para a vida de um adolescente, algo que poderia ser evitado se fosse utilizado um sistema que apresentasse mais espaço para o jovem se desenvolver e explorar para que assim encontrasse o caminho profissional que realmente deseja seguir.

Discussão

No comments for “Mente imatura em encruzilhada”

Postar um comentário