// você está lendo...

Acontece no Stockler

Trabalho em grupo, uma verdadeira competição!

Foto de uma bateria, criada pela engenharia química, dentro de um celular, criado pela engenharia elétrica. Tirada do site: http://olhardigital.uol.com.br/noticia/bateria-do-iphone-6-plus-tem-quase-o-mesmo-tamanho-do-iphone-5s/44210

Bateria criada pela engenharia química dentro de um celular, projetado pela engenharia elétrica. Foto: Olhar Digital

As tecnologias mundiais estão evoluindo cada vez mais, e todo dia está surgindo uma invenção nova capaz de ajudar o ser humano nas tarefas diárias. Os maiores responsáveis por esse crescimento da tecnologia são os engenheiros, que estão sempre pensando em como a qualidade de vida das pessoas pode melhorar, seja criando objetos para ajudá-los, ou criando formas de melhorar seu cotidiano indiretamente. O que muitos não sabem é que a maioria das engenharias trabalham juntas, e se ajudam a desenvolver cada vez mais artefatos que serão, de alguma maneira, melhores do que os já existentes.

É verdade, que as pesquisas dos engenheiros estão, na maioria das vezes, voltadas para a sua área. O engenheiro químico, por exemplo, vai buscar avanços que ajudem a indústria química ou que estejam diretamente ligadas a essa área de trabalho. Todavia, ao descobrirem algo de novo podem, indiretamente, abrir uma oportunidade para outra área trabalhar em conjunto. Foi o que explicaram o engenheiro químico Almir Ribeiro, e o engenheiro eletrônico Eduardo, durante uma palestra realizada no evento Mergulho das Carreiras, promovido pelo Colégio Stockler, no dia 20 de agosto de 2016. Quando a elétrica criou o celular, o dispositivo precisava de uma bateria para se manter ligado e, as primeiras baterias eram precárias e pouco duradouras. Com isso, coube a indústria química pesquisar e desenvolver baterias cada vez mais potentes e duradouras para que os celulares pudessem se desenvolver e evoluir.

Pensando por outro lado, buscar sempre os mesmos objetivos pode gerar uma certa competição entre os engenheiros, e valorizar uma área na qual existe um maior número de coisas para se descobrir, enquanto outras áreas que exigem mais pesquisas e dedicação acabam ficando em segundo plano. Além disso, a descoberta de novas tecnologias pode ser escondida pelos próprios pesquisadores, a fim de não criar a oportunidade de competição em outras áreas, o que implicaria em um retrocesso na tecnologia, uma vez que as pesquisas terão que ser refeitas para que outro pesquisador atinja o mesmo resultado. Ademais, por buscarem os mesmos objetivos, as pesquisas podem se tornar limitadas e se dirigirem a apenas alguns temas específicos, que trariam mais lucros e mais reconhecimento, enquanto outros temas de mesma importância, porém de menor reconhecimento, deixam de ser investigados.

Nos dias de hoje, o trabalho interligado apresenta mais aspectos positivos do que negativos, e as descobertas estão ajudando cada vez mais a população. Colocar engenheiros para competir no mercado de trabalho e ao mesmo tempo se ajudarem contribuiu muito no desenvolvimento de pesquisas e no aprimoramento das tecnologias.

Discussão

No comments for “Trabalho em grupo, uma verdadeira competição!”

Postar um comentário