// você está lendo...

Educação e carreira

Escrevendo torto em linhas certas

Através da manipulação podemos afirmar uma mentira usando verdades

Através da manipulação podemos afirmar uma mentira usando verdades

Anúncios publicitários e propagandas podem ser muito influentes na decisão do consumidor, mas para tal é necessário conhecimento e astúcia por parte de seus criadores. Por conta disso busco mais informações sobre este processo, com o objetivo de descobrir seus interessantes e perversos segredos de adulteração. Para esse fim fui ao Mergulho nas Carreiras do Colégio Stockler, um evento em que faculdades particulares apresentam seus cursos e nos ensinam um pouco mais sobre algumas carreiras. Eu tive a possibilidade de participar de uma oficina de propaganda, promovida pela faculdade FAAP, na qual percebi como este ofício é complexo. Afinal, deve-se exibir e convencer o povo de uma ideia que não necessariamente é a correta. Por exemplo, quando empresas tem um problema com um produto, para contornar a situação, tentam fazer com que a marca seja prejudicada o menos possível através de artimanhas publicitárias.

Um exemplo disto foi o caso da bebida Toddynho, produzida pela PepsiCo, em 2011, quando 39 pessoas do Rio Grande do Sul passaram mal por conta do consumo do achocolatado com um ingrediente incomum: detergente adicionado graças a uma má higienização das máquinas de produção. Após este desastre a companhia tentou amenizar a situação: para isso foi publicada uma nota explicando o ocorrido dizendo que, apesar de terem tentado recolher todas as embalagens contaminadas, 80 delas acabaram indo para o mercado e que a fórmula do produto não foi a causa da intoxicação. Também afirmaram terem mandado equipes para recolher a mercadoria, informaram o código de fabricação desse lote, e disponibilizaram médicos para aqueles que foram prejudicados pela sua ingestão.

Esta atitude foi comentada na palestra: explicaram que a publicação foi uma forma de mostrar que a corporação é consciente de seus atos, e que se responsabiliza pelos erros e tentará consertá-los. Dessa forma, a imagem dela não fica tão degradada. Outra maneira sugerida para superar o histórico ruim é uma mudança no conceito ou no enfoque publicitário do produto, para que este não seja diretamente associado ao ocorrido. Por exemplo, o Toddynho poderia relembrar a todos que a bebida tem mais de trinta anos, e que várias gerações a tiveram presente na infância. Ou mudar o slogan “Seu companheiro de aventuras”, para, de preferência, um que não permita trocadilhos do tipo “companheiro de aventuras hospitalares”.

Estes dados mostram que, trocando ideias e palavras, somos induzidos a ignorar um erro de determinada marca e consumi-la normalmente, mesmo com um episódio preocupante, como o citado anteriormente. Isso mostra, por um lado, o quanto a indústria de publicidade e propaganda é sagaz e, por outro, como é manipuladora. Por isso devemos nos atentar às informações que nos são mostradas, pois elas podem ser oblíquas, com a intenção de nos fazer acreditar em mentiras ditas com verdades.

Discussão

No comments for “Escrevendo torto em linhas certas”

Postar um comentário