// você está lendo...

Educação e carreira

Direito de futuro

Não conseguiríamos progredir sem a justiça. Fonte: jornalggn.com.br

Não conseguiríamos progredir sem a justiça

A discussão no painel de Direito do Mergulho nas Carreiras do Stockler começou com o professor Fernando como mediador e a Dra. Ana Lúcia falando sobre o futuro na carreira de direito. Ela acredita que direito é uma formação obrigatória e que está ligado à cidadania. É uma profissão que nunca irá acabar: o direito vai evoluindo conforme a sociedade avança.

Um dos convidados, Dr. Gilson começou a falar sobre a carreira de advogado, afirmando que estamos “totalmente preparados” e que somos privilegiados na sociedade por estudarmos no Colégio Stockler. Ele falou sobre como é bom advogar e os prestígios de fazer isso, como é fantástico, apaixonante. Ele afirmou que ser advogado é enxergar as coisas e as pessoas de uma forma diferente e que um advogado estuda a vida inteira. É gratificante ver o justo e o certo. Ele chegou a dizer que Direito é uma profissão que “te deixa rico do dia para a noite”, mas que esta não é a “essência do Direito”. O Dr. Gilson argumentou que é fundamental um advogado ser socialmente ativo e humilde e isso vale para qualquer profissão.

Outro palestrante, Dr. Antônio Carlos Malheiro dá aulas na PUC e Faculdades Integradas Rio Branco, e lembrou a história de um grande advogado criminal chamado Rafael Potenza, que se formou em Niterói (segundo Antônio Carlos, em uma péssima faculdade). O pai dele era açougueiro e trabalhava junto com ele. Um dia, um amigo de Potenza foi preso mas, com trabalho duro, conseguiu libertá-lo. Então, Rafael viu a importância do direito e, com o tempo, se tornou um renomado advogado. Antônio Carlos concluiu dizendo que não importa se a faculdade que a pessoa entrou é boa ou ruim, pois quem faz o profissional é ele mesmo.

O Dr. João Vicente concordou com o que foi dito antes e disse que há diferentes faculdades para diferentes perfis de pessoas, dizendo que fez USP e um mês de FGV e que são faculdades totalmente diferentes em relação ao perfil do aluno. Ele decidiu fazer Direito na última hora e que não era algo que ele sempre quis, mas ficou extremamente satisfeito. Ele comentou que sempre há dúvidas e pontos de vista distintos sobre assuntos e que por isso não há o certo e o errado. O advogado tem que ser convincente na defesa de sua tese. Outro ponto que ele comentou sendo gratificante é a perda de preconceitos.

Outro convidado, Bruno Galvão disse que entrou como estagiário na Ambev e depois em um programa de trainee. Ele acredita que as empresas buscam nos formados a capacidade de liderança e que saibam lidar com conflitos e riscos e citou exemplos que aconteceram com ele em sua carreira.

O mediador, o professor Fernando abriu espaço para os alunos tirarem suas dúvidas. O aluno Gustavo, do 8º Ano, perguntou ao Dr. Gilson sobre o dilema ético de um advogado que procure reduzir a pena de um homem que cometeu homicídio. O advogado respondeu dizendo que sempre que acolhe um caso como este, ele sempre pergunta à pessoa porque ela cometeu tal crime e, com isso, o advogado irá defende-lo. Ele também citou experiências suas reafirmando com orgulho os prestígios e deveres fundamentais de um advogado, incluindo a responsabilidade.

O Dr. Antônio Carlos e o Dr. Gilson comentaram ainda mais sobre valores que devem ser levados em conta e ainda sobre a Faculdade São Francisco, da USP. Eles também concordaram plenamente que é essencial, quando se termina a faculdade de Direito, estagiar imediatamente. Porém, a aluna Gabriela Sampaio disse que a FGV é a única faculdade que não permite fazer isso desde o primeiro ano e ao mesmo tempo contou sobre seu primeiro estágio.

Acredito que este painel foi muito interessante e útil para descobrirmos mais sobre a carreira no direito. O direito é realmente algo essencial à humanidade e devemos ficar gratos quanto a isso. Não consigo imaginar como seria o mundo sem ele.

Discussão

No comments for “Direito de futuro”

Postar um comentário