// arquivos

Arquivo de March, 2017

Brasil: o país do estrangeiro

Com as Olimpíadas e a Copa do Mundo, o governo brasileiro se esforçou para criar uma imagem satisfatória para a plateia estrangeira. Apesar da boa impressão causada pelo Brasil no resto do mundo, a maior parte do iceberg permanece nas profundezas. Diversos veículos de comunicação de vários países elogiaram o Brasil em momentos como a abertura elaborada do megaevento olímpico. Depois desse espetáculo para o público internacional, o que os brasileiros precisam fazer é torcer para que o governo se preocupe com o seu povo e não só com o resto do mundo. – Por: Ana Luiza Lopes e Gabriela Guedes.

Patinhas unidas por boa causa

Muitos dizem que o cachorro é o melhor amigo do homem, assim como o gato é o companheiro. Por que então tanta gente insiste em deixá-los para trás? O número de animais abandonados no Brasil, de acordo com a Organização Mundial da Saúde, já passa de 30 milhões, sendo que 20 milhões são cachorros e 10 milhões, gatos. Esses animais abandonados encontram-se em abrigos e ONGs protetoras de animais ou sobrevivendo nas ruas das cidades.

Automedicação e autodestruição

Tomar remédios sem indicação médica ou pedir indicações a quem não é profissional da área da saúde é um hábito corriqueiro quando se procura alívio para algum tipo de sintoma comum como febre, dores corporais, náusea, entre outros. Todavia, a automedicação é uma questão séria de saúde pública que pode trazer diversas consequências aos envolvidos nessa prática.

Rede antissocial

Antigamente, nos navios negreiros, na exploração dos bandeirantes, nas senzalas e plantações de algodão. Mais tarde, no mercado de trabalho. E agora, principalmente nas redes sociais. O preconceito está presente no dia a dia dos brasileiros há séculos. Entretanto, com o anonimato que atualmente se consegue por trás da tela de um computador, é mais fácil de se posicionar e argumentar covardemente sobre teorias de ”raças superiores”.

A beleza real

Atualmente, a aparência vai além da vaidade, ela passou a adotar um papel mais importante; ela transmite a originalidade, a personalidade e o estilo de vida de uma pessoa. Nas redes sociais estão surgindo diversos movimentos que incentivam as meninas a assumirem seus cabelos naturais, muitas vezes de origem afro, com o objetivo de combater o preconceito presente no Brasil há séculos. Estamos vivenciando uma verdadeira revolução na ditadura da beleza.

Uma esperança olímpica

Apesar do título na Copa das Confederações, em 2013, contra uma seleção espanhola que parecia estar mais interessada no turismo sexual no país do que em futebol, a equipe continuou sem uma identidade definida e surgiram os primeiros comentários de que o Brasil sofria de Neymardependência. O que não era algo ruim. Até o momento em que o dono da farda de capitão mostrou ser um garoto mimado e ”estressadinho”. A superestrela passou a perder a cabeça não apenas em jogos, mas também em coletivas.

Centro de festas e preocupações

Desde o dia que foi anunciado que o Rio de Janeiro iria sediar as olimpíadas o Brasil se tornou alvo de comemorações e críticas: alguns diziam que a Cidade Maravilhosa era o local perfeito para acontecer o evento, enquanto outros diziam que o governo não tinha a responsabilidade de cuidar da competição. Porém, esses foram apenas comentários de 2009, uma época em que a economia florescia e todos acreditavam no futuro do país – que hoje é algo, para muitos, duvidoso. As olimpíadas trouxeram olhares de diversas partes do mundo, alguns vendo a beleza festiva do local, e outros, o caos e a crise política, econômica, e até mesmo social, que o país todo enfrenta, mostrando a má situação que o brasileiro se encontra.

Torcidas únicas: mal necessário?

No dia 4 de abril de 2016, recebemos a triste notícia de que os clássicos no Estado de São Paulo passariam a ter torcida única até, pelo menos, o final do ano. Além disso, mais duas medidas foram tomadas: as torcidas foram proibidas de entrar nos estádios com faixas, roupas e utensílios que fazem alusão às organizadas e também os próprios clubes foram proibidos de doarem ingressos para a torcida uniformizada.

O país do futebol

Se no Brasil infelizmente o gosto pela literatura não é uma paixão de todos, não podemos dizer o mesmo do futebol. O esporte é o mais praticado no país, e consequentemente é também o mais importante. É o que faz dele parte de nossa cultura e meio socioeconômico. A beleza desse esporte não está apenas […]

Sucesso de bandeja

Criado por um branco canadense, o basquetebol surgiu na última década do século XIX. A atual divisão de elite foi fundada em 1946, quando a Liga Nacional fundiu-se com a Liga da América. Recebeu o nome de National Basketball Association, NBA. Com o fim da American Basketball Association – na década de 70 – a NBA consolidou-se como a elite do basquete mundial. Até os dias atuais, a liga é absoluta de modo que não há nenhuma competição de basquete que chegue próxima em quaisquer aspectos.