// arquivos

Arquivo de August, 2015

Compartilhar para viver ou viver para compartilhar?

Publicar, curtir, comentar e, por fim, compartilhar. Constantemente, essas ações estão envolvidas no modo de vida dos indivíduos da sociedade atual, fortemente influenciados por essa rede de comunicação que os induz a dividir momentos com outros internautas. Será que esses momentos não seriam melhor aproveitados se estivéssemos menos preocupados com as curtidas e mais em curtir? – Por: Bruno Pagetti e Maria Fernanda Sasson.

Crimes de guerra ou massacre?

No dia 24 de abril deste ano completou-se o centenário do Genocídio Armênio, um dos primeiros e mais brutais massacres do século XX, comandado pelos turco-otomanos. Atualmente, o genocídio possui pouco reconhecimento. Alguns países como Líbano, Argentina, França e Alemanha (que inclusive admitiu parcela de responsabilidade do genocídio por enviar soldados para auxiliar no planejamento) reconheceram a atrocidade feita, enquanto que outros países não reconhecem, indiretamente para não abalar relações econômicas com o governo turco.

Proibir não é inibir

O Brasil está em uma guerra declarada contra as drogas . Apesar de não ser um assunto sobre o qual ponderamos todos os dias, somos afetados diariamente por essa guerra. Violência, tráfico, pobreza, abuso de poder policial, corrupção… São somente algumas de suas consequências.

O Brasil acordou

Atualmente, nosso país é comandado por um governo envolvido em vários escândalos de corrupção e lavagem de dinheiro. Nos dias 15 de março e 12 de abril, milhões de pessoas ao redor do Brasil participaram de protestos contra o Governo Dilma Rousseff. Segundo a Polícia Militar, cerca de 2,4 milhões de manifestantes compareceram no dia 15 de Março e 1,5 milhão no dia 12 de abril. Apesar de manifestações anteriores terem sido manchadas pela violência, essas duas superaram as expectativas sendo realizadas de maneira pacífica e democrática.

Vencedores da crise

Apesar de a crise afetar a grande maioria, ainda sim, existem setores da economia e empresas que acabam se beneficiando com a desvalorização do real no mercado mundial, com o gasto exclusivo com certos bens de necessidade ou até mesmo, apesar de parecer contraditório, com o aumento e o surgimento de determinados impostos.

“Somos todos iguais”…?

Em março deste ano, segundo o site Extra da Rede Globo – 09/03/15 -, um adolescente, filho de um casal homossexual, foi espancado até a morte na escola onde estudava devido à orientação sexual de seus pais. Os agressores foram os próprios colegas de classe do adolescente, estes que aparentemente não foram educados corretamente a respeitar todos que são diferentes. A violência contra os homossexuais é algo que, quando gera notícias, é chocante porém, ao invés da mídia abordar esse tema como deveria, já que é algo tão sério ao ponto de heterossexuais assassinarem homossexuais, ela decide apenas comentar o ocorrido, um absurdo devido à importância do fato.

Um pulo para o futuro

A vida é um pulo. Pular do abismo com ou sem paraquedas, pular no oceano profundo ou de testa na piscininha do prédio, pular nos estudos, pular nas festas, pular nos amores. Pular no universo de possibilidades que viver nos oferece. Quando chegamos ao colegial, uma ideia fixa de futuro vem a nossas cabeças e, junto dela, um medo tremendo de decidir como ele será. Porque está sempre todo mundo pronto para falar que trabalho é um inferno, faculdade cansa e que a melhor fase da sua vida acabou. É, quando você ingressa no colegial, o mundo azul e bonito de possibilidades parece escurecer e ficar denso, seu oceano de algodão doce rosa se torna um brigadeiro queimado, sem açúcar.

Transplante é um “papo cabeça”

O assunto é extremamente polêmico: um transplante de cabeça a apenas dois anos de se tornar real seria algo inimaginável para muitos médicos renomados; para Sérgio Canavero, não.

Aedes aegypti contra a dengue?

A dengue não é novidade para ninguém, principalmente para o povo brasileiro. Todavia, essa doença não nasceu aqui. O mosquito Aedes aegypti tem origem africana, e chegou em nosso país junto com os navios negreiros durante a época de colonização. A partir desse ocorrido, a doença tem causado milhares de mortes ao longo da história brasileira. Assim como tem, também, mobilizado diversos cientistas a procurar meios cada vez mais efetivos de prevenção e tratamento.

Saúde sobre quatro rodas

Existem muitas formas de se exercitar e conquistar uma boa saúde de uma maneira divertida e prazerosa. Uma delas é a prática de andar de skate. Criado no final de década de 1950, na Califórnia, Estados Unidos, o skate surgiu a partir do surf e foi concebido pelos surfistas que já estavam cansados de depender do mar para surfar. O skate é o surf sem água que, com o tempo, foi desenvolvendo seus próprios estilos e manobras.