// arquivos

Arquivo de November, 2011

A vaidade obsessiva que (de)forma a beleza

A busca pela beleza estética sempre esteve presente em nossa sociedade. Homens e mulheres preocupam-se com a aparência e o bem-estar do corpo, o que é normal e saudável; o problema começa quando essa busca torna-se uma obsessão, a ponto de desenvolver problemas físicos e psicológicos nos indivíduos. Hoje em dia tudo parece possível no campo da medicina estética; toda e qualquer imperfeição pode ser facilmente modificada ou ”ajustada”. Mas, se as imperfeições que nos tornam únicos são “corrigidas”, o que sobra de nossa beleza própria e da individualidade? -Por: Gabriela Dutra Caiado Coelho e Manoela Ramos Jubé.

Educação tigresa traz sucesso?

O mundo ficou chocado com a liderança de Shangai, China, em um teste realizado pelo Programa de Avaliação Internacional de Estudantes (Pisa), em 2009. Nessa mesma avaliação, que envolvia 65 países, o Brasil ocupa o 54° lugar. A preocupação dos chineses em manter uma educação rígida entra em contraste com a educação liberal dos brasileiros, enquanto nosso país deixa suas crianças à vontade para fazer o que quiserem, a China busca impor rigidez aos jovens dentro e fora de casa.

Os “nerds” contra-atacam!

Por muitas décadas e ainda hoje os nerds foram julgados e excluídos da sociedade. Mas, afinal, o que é nerd? Existe um estereotipo bem marcado dos nerds feito por séries de televisão, filmes e até mesmo pelas pessoas: um garoto atacado pelas espinhas, com poucos amigos, roupas bregas totalmente antiquadas, que só estuda e joga videogames ou jogos medievais. Mas será que tudo é verdade? O que é mito e o que é verdade quanto aos nerds?

Mobilização real em redes virtuais

Hoje em dia, as redes sociais estão cada vez mais influentes nas nossas vidas. Através da mídia, as pessoas conseguem fazer com que várias outras participem de manifestações. Pequenas coisas, quando colocadas em alguma rede social, geram uma mobilização absurda da população. Em fevereiro desse ano, alunos do colégio Marista Arquidiocesano, resolveram usar o Twitter criando ahashtag #abaixocalu, para que diminuíssem os preços da Cantina Calu (terceirizada pelo colégio). Essa ideia não está ligada apenas a esse tipo de tema, mas com assuntos gerais também, como, por exemplo, a política.

Novos games chegaram… há anos

Desde que foi lançada, em meados de 2006, a nova geração de consoles de videogames vêm disputando para ver quem é o melhor do mercado e quem conquistará mais fãs ao redor do mundo. Com um público mais jovem (6-13 anos de idade, em média), o console da Nintendo, Wii, conseguiu conquistar famílias e crianças do mundo todo com seus jogos divertidos e com gráficos inferiores aos seus concorrentes, porém trazendo uma inovação na jogabilidade, que consiste no movimento do controle para realizar certas ações similares dentro do jogo. Mas e quanto a adolescentes e adultos que querem sangue em alta definição? Para este público cabe ao Playstation 3, da Sony, e ao Xbox 360, da Microsoft, lutarem para ganhá-lo, e, sendo assim, desde que saíram pela primeira vez às lojas, estes dois consoles parecem estar em uma batalha acirrada até hoje. Porém eles parecem não ter percebido que podem acabar perdendo para um adversário que se tornará imbatível: o computador.

Um “knockout” no preconceito

Entre os principais esportes praticados nos dias de hoje, o que mais cresce ao redor do mundo é o MMA. Uma mistura de artes marciais, o MMA (do inglês “Mixed Martial Arts” e do português “Artes Marciais Mistas”) vem cada vez mais ganhando popularidade e respeito, tornando-o um sucesso mundial. Basicamente, o esporte consiste em dois lutadores se enfrentando em um octógono, em 3 rounds de 5 minutos para lutas normais e 5 rounds de 5 minutos para lutas que valem defesa de cinturão. Diferentemente do que muitos pensam, o MMA possui regras, como: uso obrigatório de luvas, protetor bucal e coquilha. Apesar de sua popularidade em constante crescimento, o esporte sofre muitos preconceitos, entre eles o de que “tirar sangue de alguém não é esporte” ou de que os lutadores “são apenas dois animais brigando”. Isso é pura falta de conhecimento, pois são profissionais apenas exercendo seu trabalho e lutar é muito diferente de brigar, já que lutar exige regras.

O peso da cobrança sobre o jovem

A cobrança em cima dos jovens é cada vez maior por conta da velocidade em que informações e o conhecimento progridem no mundo atual. Devido a isso os jovens vêm dedicando mais o seu tempo para atender as expectativas e cobranças dos pais, família, da sociedade e de si mesmo, de modo que tiram o pouco foco que possuem. O tempo que voa, o tempo que sobra, o tempo que falta, os velhos tempos, os tempos que virão, a problemática do tempo. O principal é o tempo que corre e ao mesmo tempo cobra. A cobrança não é sempre aceita e interpretada da melhor maneira. Surgem os questionamentos, as dúvidas, as crises existenciais, a aflição do futuro, inseguranças, o medo do desconhecido, a busca pelo acerto, e assim, uma série de jovens ansiosos e reprimidos.

A dieta do futuro calouro

Desde a infância temos um objetivo a ser atingido, chegar à faculdade, escolher uma profissão que nos dê realização pessoal e independência financeira. Mas para que isso ocorra é necessário passar pela etapa mais importante do processo: o vestibular. É uma fase intensamente valorizada pela sociedade e por essa razão os alunos se sentem extremamente pressionados. Isso gera insegurança, ansiedade e estresse.

USP: Universidade Sem Privilégios

A principal meta dos vestibulandos pelo Brasil a fora está ainda mais concorrido. Na reunião do CoG (Conselho de Graduação) da USP de 2 de junho de 2011 aprovou uma série de mudanças no vestibular da FUVEST. Tais mudanças já serão colocadas em prática na edição do vestibular 2012. Essa renovações foram realizadas com o objetivo de aumentar a nota de corte em praticamente todos os cursos e para promover maior inclusão social. Alguma dessas mudanças tornaram a prova mais difícil como o aumento da nota minima de 22 pontos para 27, além de que diminuiu a quantidade de candidatos selecionados para participar da a segunda fase, passando de 3 para dois candidatos vaga, reforçando o caráter seletivo da prova.

As redes ajudam ou atrapalham?

Quem, no passado, um dia pensou que a internet poderia ajudar a evitar acidentes? Pois bem, a realidade é que as redes sociais, como o Facebook, também ajudam a prevenir alguns casos de acidentes muitas vezes decorrentes de catástrofes naturais (chuvas fortes, desmoronamento, tsunami, terremotos etc.).